Lean Startup: como aplicar a metodologia para atingir o sucesso

Escrito por: Cotidiano Aceleradora

29 de junho de 2022

Pessoa pesquisando sobre lean startup

Não existe fórmula mágica ou receita pronta para o sucesso de uma empresa, mas há ferramentas que as ajudam a chegar lá. Uma delas é o uso de metodologias, como a Lean Startup.

Para quem está começando a explorar o mundo das startups, conhecer essa metodologia é fundamental e faz toda a diferença nos resultados. Saiba tudo sobre a lean startup e como aplicá-la no seu negócio neste post dedicado ao tema. Fique conosco até o final para não perder nenhum detalhe. Boa leitura!

De onde vem a Lean Startup?

O conceito de lean startup apareceu pela primeira vez no livro de Eric Ries intitulado “The Lean Startup”. A obra é resultado da experiência de anos do autor à frente de seu trabalho como consultor e criador de startups.

Um de seus projetos durou alguns meses e se tratava de uma startup de desenvolvimento de software. Chegou a receber um financiamento de 40 milhões de dólares e a contratação de mais de 200 funcionários.

Após o seu lançamento, o projeto não vingou, causando um prejuízo enorme de todos os recursos para todos os envolvidos.

Essa experiência foi suficiente para que Eric tomasse uma decisão. A partir da filosofia japonesa da Lean Manufacturing, ele optou por modificar a situação criando uma metodologia semelhante para otimizar os processos das startups, a Lean Startup.

O que é Lean Startup?

O termo vem do inglês e significa startup enxuta. Refere-se a um conjunto de princípios, metodologias e processos para conduzir os empreendedores numa jornada cheia de inovação.

Essa metodologia afirma que a necessidade do cliente (problema) e o produto (solução) são desconhecidos. Um descobre o outro a partir de processos recorrentes, o que ajuda bastante na fase de desenvolvimento de produtos e também de clientes.

A lean startup não é utilizada apenas em startups do segmento de tecnologia. Outros negócios que atuam em outros ramos já tem buscado a metodologia para alcançar resultados de alta performance.

Ela baseia-se no descarte ou na validação de hipóteses a respeito do produto ou do mercado. Para que isso aconteça, dois fatores são totalmente indispensáveis: a celeridade e o custo das iterações.

Em outras palavras, quanto mais ágil e acessível a melhoria, melhor. Geralmente, as iterações são responsáveis por promover mudanças no projeto inicial. Esse movimento recebe o nome de pivô.

Princípios da Lean Startup

A lean startup está pautada em três princípios:

Customer Development

O desenvolvimento de clientes é um processo empregado para estes e validação das hipóteses, colaborando para que a startup encontre um equilíbrio entre o mercado e o produto.

Desenvolvimento Ágil

Trabalhar com metodologias ágeis possibilita que haja uma iteração maior de desenvolvimento e velocidade a partir do feedback dos clientes.

Ferramentas tecnológicas

São plataformas que servem como uma solução do seu produto ou serviço agrupando diversas tecnologias  Através delas, a sua startup obtém um alcance maior não só apenas de público, mas também de resultados.

Como a lean startup pode ser aplicada no seu negócio?

Após compartilhamos com você alguns conceitos importantes sobre o tema, chegou o momento de saber como essa metodologia pode ser reproduzida na sua startup. 

Falamos anteriormente que  a premissa da lean startup está nos testes e validações de hipóteses, tanto de produto quanto de mercado. Antes da validação, é preciso passar por algumas fases e conceitos, como por exemplo, o Ciclo do feedback construir-medir-aprender. 

Ciclo do feedback construir – medir – aprender

Esse é considerado um dos conceitos mais relevantes da lean startup e se divide em três etapas.

A primeira delas é o desenvolvimento inicial do produto. E antes q de lançá-lo no mercado, são realizados alguns testes a partir de um protótipo para ver como o mercado se comporta perante ele, antes mesmo de apresentar o produto oficial na sua versão finalizada.

MVP (Minimum Viable Product)

Também conhecido como Produto Mínimo Viável, é nada mais que o protótipo que acabamos de mencionar no tópico anterior. Sua produção tem o intuito de sanar as dores do cliente e não gera muitos custos para a empresa, já que se trata de algo para ser testado, apesar dos feedbacks serem bastante reais.

O MVP viabiliza a testagem das hipóteses e aproveita a jornada para aprender sobre essa etapa. Dessa forma, é possível trabalhar visando a oportunidade de melhorias e a inclusão de funções a partir de demandas reais.

Métricas de vaidade

Na segunda etapa onde ocorre a elaboração do produto, os esforços são direcionados de modo que seja possível analisar se tanto a empresa quanto a sua solução tem performado bem ou não.

É comum que os empreendedores depositem sua confiança sobre o desempenho do negócio a partir das métricas de vaidade. É o suficiente para uma situação de distração onde os verdadeiros indicadores que verdadeiramente mostram a situação do negócio são completamente ignorados.

E quais seriam as métricas de vaidade? Um bom exemplo disso é quando você entra num site e baixa um material (planilha, e-book, etc.)

Eles causam uma sensação de otimismo sobre o sucesso da marca, mas não traduzem a verdadeira importância de indicadores que de fato apontam para a saúde do negócio, como, por exemplo, Custo de Aquisição de Clientes (CAC).

Desenvolvimento contínuo

A análise das métricas proposta no tópico anterior traz uma discussão importante sobre os próximos passos que a startup dará. A partir dos resultados, caberá aos responsáveis do projeto avaliar a sua viabilidade, entendendo a importância de que um processo de melhoria contínua é fundamental para o crescimento do negócio.

O desenvolvimento constante ocorrerá de acordo com os feedbacks recebidos a partir da fase dos testes. Eles apontarão quais serão os ajustes necessários a realizar.

Pivô

Chegamos a um dos pontos principais deste artigo.

Isso porque o ciclo se encerra e é o momento onde o empreendedor deve pivotar o projeto original.

Caso a essa altura os responsáveis se deem conta de que é preciso alterar o projeto original, uma mudança drástica deverá ser realizada para seguir com o projeto até o fim.

Conclusão

Mais do que uma metodologia, a lean startup é uma excelente oportunidade para que os empreendedores envolvidos testem ao máximo as suas soluções antes de enviá-las para o mercado, evitando desperdícios de recursos e uma série de outros transtornos.

Gostou do conteúdo? No nosso blog tem muito mais esperando por você. não deixe de passar lá e nos fazer uma visita. Te esperamos! Até o próximo post!

Inscreva-se no CAMP10

Artigos Relacionados

Como trazer inovação para sua empresa com a Coti!

Como trazer inovação para sua empresa com a Coti!

Toda empresa deseja alavancar seus resultados e se tornar a melhor do seu segmento. Repensar o seu planejamento estratégico, analisar o mercado, conhecer o público e trazer inovação para o seu negócio são apenas algumas ações que contribuem para alcançar os seus...

Tipos de startups e como a sua empresa pode trazer novidade ao mercado

Tipos de startups e como a sua empresa pode trazer novidade ao mercado

Se você está pensando em trilhar pelo mundo das startups há muitas informações essenciais que não devem passar despercebidas. Não basta apenas ter uma ideia julgada inovadora, é preciso saber se de fato ela atenderá as necessidades do mercado. Além disso, existem...