Dicionário de Startups

Este dicionário abrange diversos termos utilizados no mundo de startups. Sendo os principais termos para startups, além de também possuir termos utilizados por startups que são mais específicos, sendo desconhecidos por parte dos empreendedores e investidores.

A tradução dos termos foi feita de forma mais simples para que um leigo possa entender seus significados.

Navegue no

Glossário para Startups

Para facilitar a navegação no dicionário de startups, clicando em cada letra você poderá ir até a sessão do dicionário em que os termos que iniciam-se com aquela letra estão dispostos. Caso queira retornar para o topo basta clicar no botão com uma seta para cima na lateral inferior direita da tela.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

Quer baixar este dicionário e acessar de onde quiser?

A

Aceleradora de Startups: Empresa que investe em startups, que apoia o crescimento da startup, auxiliando na captação de investimento, desenvolvimento de clientes e do negócio por meio do know-how dos membros e mentores.

Acqui-hiring: Aquisição/Compra de empresa focada em trazer o time para dentro de outra empresa, movimento com intenção de aquisição de talentos.

Ads: Anúncios realizados em plataformas como Google Ads, Facebook Ads, etc.

Adtech: Empresa que desenvolve tecnologia na área de anúncios.

Advisor: Conselheiro que atua na startup, podendo possuir participação na empresa ou não, normalmente é uma pessoa que atua no mercado da empresa e contribui por meio da rede de relacionamentos e de consultorias ou assessorias pontuais.

AgriTech: Startup que trabalha com tecnologia voltada para a área agrícola.

AHA Moment: Quando o cliente diz “Aha, entendi como isso funciona” ou “Aha, então esses são os benefícios reais desse produto”, momento em que o cliente passa a entender o funcionamento do produto/serviço.

AI (Artificial Intelligence):Inteligência Artificial, tecnologia que utiliza de redes neurais (redes treinadas para determinado comportamento da máquina) permitindo assim o aprendizado de máquinas.

Analytics: Normalmente relacionado a análise de dados de um website ou mídia, tende a ser utilizado para referir se a ferramenta do Google.

Angels: Ou como são chamados popularmente Investidores-Anjos, normalmente pessoas que investem diretamente nas startups em troca de participação e normalmente auxiliam no desenvolvimento da startup com sua experiência ou rede de contatos.

Aporte: Investimento financeiro realizado em determinada Startup.

AR (Augmented Reality): Realidade Aumentada, é a integração entre o mundo virtual e o mundo físico, mostrando algo virtual em um local físico ou vice-versa.

ARR (Annual Recurring Revenue): Receita anual recorrente, trata-se da receita decorrente de um plano com um pagamento feito por período, este é o objetivo.

ASO (App Search Optimization): Otimização para busca de aplicativos, técnica utilizada melhorar o posicionamento de aplicativos em lojas de aplicativos (google play, app store, etc).

Auto-Renewal: Modelo de contratos em que após o final do contrato o mesmo é renovado automaticamente.

B

B2B (Business to business): Empresa para empresa, mercado em que as soluções/produtos são negociadas entre empresas.

B2C (Business to consumer): Empresa para consumidor, mercado em que as soluções/produtos são negociadas entre empresa e consumidor final.

Back-end: É a parte da programação não visível ao usuário, o sistema interno de um site que executa as funções para que o sistema funcione.

Backlog: Quadro de tarefas a serem realizadas que não é a prioridade atual.

BCO: Benefício, como e onde. É a base de como é feito a entrega de valor de algum produto, detalhando como é feita a entrega, os benefícios e onde é realizado.

Benchmarking: Comparação entre produtos/serviços/empresas realizado para extrair informações para implementação de melhorias ou diferenciais competitivos.

Big data: Grande volume de dados armazenados. Baseado em 5 V’s: Velocidade, Volume, Variedade, Veracidade e Valor.

Big Picture: Visão geral, ou seja, a “pintura completa” que mostra determinado cenário.

Bitcoin: Principal moeda digital (criptomoeda) atualmente.

Biz Dev: Desenvolvimento de negócios, buscando atingir potenciais clientes e parceiros.

Blockchain: Tecnologia que cria uma rede interligada em blocos na qual os usuários validam as informações entre si, possibilitando maior segurança dos dados e validação das informações autenticadas por diversos usuários.

Board: É a composição dos acionistas da empresa (investidores e sócios em geral).

Bootcamp: Treinamento normalmente executado como imersão voltado para um tema específico ou software.

Bootstrap: Está ligado ao desenvolvimento de uma startup sem investimento de terceiros, apenas utilizando o capital dos sócios do negócio.

Bounce Rate: Taxa de rejeição, percentual entre a taxa de usuários totais e aqueles que interagiram com determinada comunicação, podendo ser via e-mail ou acesso a determinado site.

Brainstorm: Chuva de ideias, técnica utilizada para realizar ideação, ou seja, ter novas ideias para algum fim específico.

Break-even: Período em que a startup passa a se pagar, tendo um equilíbrio entre receitas e despesas. (Alguns utilizam como verbo, exemplo: “Breakevar”, que seria o mesmo que atingir o Break-even).

Briefing: Resumo detalhado de uma ideia/produto/serviço.

Budget: Orçamento, valor que está disponível para executar algo.

Buffer Time: É um tempo extra adicionado à duração do serviço. Utilizado para o preparo para realização de determinado serviço.

Burn Rate: Refere-se ao tempo que a startup tem de sobrevivência com o dinheiro que possui em caixa, ou seja, quanto tempo a startup levará para ficar sem dinheiro considerando as despesas que a mesma possui e o fluxo de caixa.

Business Plan: Ou plano de negócios, como é traduzido, define a trajetória futura da startup como a mesma espera atingir o seu mercado e obter o sucesso do negócio.

BMC (Business Model Canvas): Canvas do modelo de negócio, é um plano de negócios simplificado feito normalmente utilizando post-its que abrange a estratégia da empresa em geral.

C

C-Level: Nível de Diretoria de uma startup ou empresa.

CAC (Customer Acquisition Cost): Ou Custo de aquisição de clientes, refere-se a quanto é gasto para trazer um novo cliente para o negócio.

Call: Chamada de vídeo ou áudio.

CAMP: Cotidiano Acelera Meu Projeto, processo de aceleração da Cotidiano Aceleradora, na qual a empresa recebe investimento em troca de participação societária e é realizado uma imersão com a equipe para desenvolvimento da startup. (Quer conhecer mais sobre o CAMP? Conheça aqui tudo sobre o CAMP)

Canais de tração: Canais/meios de atingir um público determinado buscando a escala, seja online ou offline.

Cap table: Refere-se à distribuição de ações por meio da captação de investimentos, tecnicamente é a tabela/lista que registra a participação societária de cada um na startup.

Capital Social: Composto pela quantia bruta investida no negócio pelos sócios ou acionistas.

Cash Flow: Fluxo de caixa, trata-se do controle dos valores que entram e saem da empresa.

CCO (Chief of Communication Officer): Diretor de Comunicações, no entanto também pode ser “Chief of Commercial Officer”, ou seja, Diretor Comercial.

CEO (Chief of Executive Officer): Diretor Executivo ou Presidente da empresa.

CFO (Chief of Financial Officer): Diretor Financeiro.

Churn Rate: É o “índice de cancelamento de clientes”, trata-se de uma importante métricas para startups, refere-se a quantidade de clientes que cancelaram.

Cliff: Cláusula contratual que permite estabelecer um tempo mínimo de permanência para que o sócio possa ter direito a participação societária da empresa.

CLV (Customer Life Value): Métrica relacionada ao valor que o cliente possui dentro da empresa, fator essencial para definir se os investimentos para captação estão sendo positivos ou não.

CMO (Chief of Marketing Officer): Diretor de Marketing.

CMS (Content Management System): É um sistema de gestão de conteúdos, normalmente uma plataforma de treinamentos online.

CPC: Ou custo por clique, é o valor gasto normalmente por meio de anúncios para obter cada clique.

Criptomoeda: Moeda digital, que possui seu valor definido com base na oferta e demanda, regido pelo mercado, não possuindo um governo que execute o seu controle. Normalmente criada por meio de tecnologia em Blockchain.

CRM (Customer Relationship Manager): Gestão de relacionamento de clientes, costuma ser utilizado para referir-se a um software para gestão de clientes.

CRO (Conversion Rate Optimization): A Otimização de taxas de conversão é um processo realizado para que mais visitantes se tornem em clientes.

Cross Sell: Técnica de vendas que utiliza a venda cruzada, ou seja, sugerindo produtos complementares junto do desejado.

Crowdfunding: Plataforma que permite a captação de recursos, ligando pessoas que fazem projetos com possíveis financiadores do projeto.

Crowdsourcing: É um processo de desenvolvimento de um determinado projeto por meio da contribuição de diversas pessoas.

Co-Founder: Cofundador da startup/empresa, são os primeiros sócios da empresa.

Co-Investimento: Processo de investimento realizado por dois ou mais investidores em determinada empresa, dividindo a participação acionária assim como o valor investido.

Commit: É o ato de enviar/salvar um código criado para o servidor.

Company Building: Construção de uma Companhia, processo em que uma Startup se estabelece no mercado atingindo um grande valor de mercado.

Convertible notes: Notas convertíveis, são títulos de dívida convertíveis, na qual é realizado um investimento que é convertida em uma próxima rodada de investimentos em participação acionária.

COO (Chief of Operation Officer): Diretor de Operações, normalmente responsável pela equipe que opera a startup/empresa.

Copycat: Startup feita com base em outra que já existe fora do país, copiando o modelo de negócios para operar no país trazendo algo que já funciona em outro lugar.

Core Business: Negócio, produto ou serviço principal da empresa.

Corporate: Grande empresa do mercado tradicional, com tendência a conhecer mais sobre o mercado de Startup e seus usos.

Corporate Venture: É um modelo de investimento realizado por empresas tradicionais em startups, levando a inovação para dentro da empresa e auxiliando a startup, normalmente focado em negócios da mesma área de atuação.

Coworking: Ambiente compartilhado de trabalho, possibilitando um escritório fixo ou compartilhado.

CSM (Customer Success Management/Manager): Gerente/Gestor de Sucesso do Cliente.

CTO (Chief of Technology Officer): Diretor de Tecnologia.

Custo de oportunidade: É a diferença entre o custo (econômico, social, etc) para usufruir de certa oportunidade.

Customer Creation: Criação de clientes, quando você cria um novo mercado para um produto, ou leva o cliente a entender um problema que ele tinha e não conhecia.

Customer Development: Ou Desenvolvimento de cliente, é como chama-se o modelo de foco direto no cliente, desenvolvendo um serviço/produto para o cliente e pensado para resolver uma dor dele, testando e validando as premissas com os clientes.

Customer Discovery: Descobrimento de clientes, ou seja, período de busca pelo cliente ideal, ou persona.

Customer Driven: É uma forma de gerir a empresa com base no direcionamento a solucionar as dores do cliente, sendo uma empresa centrada no cliente.

Customer Health Score: Índice de saúde do cliente, métrica responsável por definir se o cliente está sendo bem atendido, analisado por meio de uma escala de 1 a 100.

Customer Success: Sucesso do cliente, trata-se da ideia de garantir que o cliente esteja satisfeito com a solução proposta, utilizando de técnicas visando o encantamento do cliente para garantir a permanência do mesmo.

Customer Validation: Validação de cliente, trata-se da validação do mercado-alvo, entendendo se o cliente é o que foi pressuposto.

D

DAO (Decentralized Autonomous organization): Organização autônoma descentralizada, é uma organização gerida por meio de contratos inteligentes, que normalmente são validados e executados por uma blockchain.

Data-Driven: Gestão com base em dados, modelo em que as decisões são tomadas com base nos dados disponíveis.

Dayling: Reunião diária de alinhamento de time com foco no desenvolvimento de projeto, comumente utilizada no SCRUM.

Deal Breaker: É um determinado problema ou fator que impede a realização de um negócio ao final da negociação.

Demoday: Evento de apresentação de startups para investidores ou potenciais clientes, normalmente executado ao final de um programa de aceleração. Podendo possuir painéis ou palestras relacionadas ao tema.

Design Thinking: Metodologia utilizada para entender um determinado problema de forma ampla, gerar ideias e testá-las sabendo se são viáveis ou não.

Design de Serviços: Metodologia de criação de negócios/serviços.

Desire Outcome: Resultado desejado, termo utilizado no Customer Success, para a soma do que o cliente precisa atingir e como é realizado.

Discovery: Fase de descoberta, quando se está descobrindo se uma ideia faz sentido pro mercado ou não.

Double Diamonds: Método do Design Thinking que possui 4 fases: Descobrir, Definir, Desenvolver e Entregar. Foca em criar solução de problemas.

Downgrade ou Downsell: Ação em que o cliente muda o objeto da compra para outro com menor valor ou o altera para um plano de menor valor.

Due Diligence: Processo de investigação e auditoria de documentos de determinada empresa, confirmando os dados disponibilizados para realização de investimento.

Drag Along: Cláusula contratual que exige que os sócios minoritários vendam suas ações juntamente com o majoritário, fazendo com que o comprador exerça a compra de toda a empresa.

E

Early-stage: Empresa em estágio inicial, normalmente na fase de descoberta, validando a ideia para depois levá-la ao mercado e validar o negócio.

EBITDA: Sigla para “Earnings before interest, taxes, depreciation and amortization”, ou seja, lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização.

Ecossistema: Conjunto de agentes (pessoas, empresas, etc) que atuam em conjunto. Comunidade, ou conjunto dos stakeholders relacionados a determinado assunto.

Edtech: Startup que trabalha com tecnologia voltada para educação.

Escalar: Atingir um público maior, buscando um maior potencial de mercado.

Elevator Pitch: Apresentação rápida como uma conversa rápida de elevador.

Extreme Go Horse: Cultura baseada em agilidade de execução, porém sem planejamento, consiste em “apagar fogos” rapidamente quando aparecem, porém sem pensar, apenas agindo rapidamente.

F

Feature: É uma funcionalidade de um produto, normalmente algo que é acrescentado a determinada ferramenta.

FFF (Family, Friends and Fools): Investimento realizado pela família, amigos ou por tolos (também conhecido por alguns apenas como FF sem constar a última terminologia).

Fintech: Empresa de tecnologia que atua voltado para o mercado financeiro. Ex: Nubank, Pagseguro.

Follow up: Consiste em um acompanhamento de algum processo.

Founder: Fundador da empresa (aquele/a que iniciou a startup).

Freemium: Modelo de receitas com base em liberar parte de uma ferramenta de forma gratuita, porém com ferramentas mais específicas sendo pagas.

Front-end: É a parte visível pelo usuário de uma página/site.

FTE (Full Time Employee): Empregado em tempo integral (normalmente acima de 35hs/semanais).

Fundraising: Refere-se à captação de recursos de terceiros, por meio de processos e estratégias definidas, comumente utilizado em organizações sem fins lucrativos.

G

Gamification: Técnica que utiliza elementos de jogos em atividades não-lúdicas, possui foco em aumentar o engajamento das pessoas com determinada atividade.

Golden Circle: Metodologia focada em responder 3 tipos de perguntas (nesta sequência): “Por que? Como? O que?”. Assim descobrindo primeiro o propósito de algo ser executado.

Growth: Etapa de crescimento, quando a startup começa a escalar o seu negócio adquirindo uma fatia maior do mercado.

Growth Capital: Investimento realizado em estágio de escala, na qual a startup já está mais amadurecida.

Growth Hacker: Profissional que aplica técnicas de Growth Hacking, busca o crescimento exponencial e a viralidade.

Growth Hacking: Técnicas utilizadas para atingir um crescimento exponencial, normalmente tendem a serem desconhecidas do público geral e muitas das vezes é realizada por meio de integrações ou falhas em determinado software.

H

Hackathon: Maratona de programação, período curto realizada por meio de competição com objetivo de desenvolver novas soluções.

Heavy User: Usuário que aproveita do máximo de funções que um produto/serviço dispõe ou utiliza com alta frequência.

Highlights: Destaques, ou seja, os pontos altos do negócio, sendo usado comumente para definir as coisas que foram validadas em certo espaço de tempo.

Home Office: Trabalho em casa.

Hurdle Rate: É uma taxa mínima de retorno ou atratividade de investimento.

I

ICO (Initial Coin Offering): Oferta inicial de uma nova criptomoeda, é a arrecadação de fundos por meio da venda desta criptomoeda.

Incubadora: Normalmente é um local que permite que as empresas trabalhem por lá, podendo oferecer benefícios por meio de parceiros ou uma rede de contatos.

Inbound Marketing: Conjunto de técnicas de marketing que atraem o usuário de modo orgânico, assim sendo por meio de produção de conteúdo, criação de listas de interessados, etc.

Inovação Incremental: É aquela que ocorre visando aprimorar um processo, produto ou serviço existente para que possa obter uma melhor performance.

Inovação Disruptiva: É a inovação com foco em romper com a forma que algo é realizado, seja um produto, serviço, modelo de negócio. Visa não apenas aprimorar, mas transformar o mercado para um novo rumo. Também conhecida como Inovação de Ruptura.

IoT (Internet of Things): Internet das coisas, tecnologia associada a uso de rede entre objetos físicos, veículos, prédios, etc.

IPO (Initial Public Offering): Oferta pública de ações, é a abertura de capital de uma empresa na bolsa de valores, possibilitando a compra de sua participação por acionistas.

J

Jornada do cliente: Caminho que o cliente percorre desde quando conhece a solução até a última interação que o mesmo tem com a empresa.

K

KISS (Keep It Simple Security): Modelo contratual criado pela 500 Startups para substituir as notas convertíveis como instrumento de investimento em startups.

Know-how: Conhecimento específico e especializado em um assunto.

KPI (Key Performance Indicator): Indicador chave de performance, métricas mais importantes para entender se a empresa está progredindo ou não.

L

Landing Page: Página de aterrissagem, é uma página de um site com um objetivo definido para atração de novas conexões/leads.

Lagging Indicator: Indicador que representam um resultado atingido.

LawTech: Startup que trabalha com tecnologia voltada para a área jurídica.

Lead: Contato de um potencial cliente, considera-se como um contato para negociação/venda, podendo ser considerado “quente” ou “frio” de acordo com a qualidade e quantidade de dados que possui desta pessoa/empresa.

Leading Indicator: Indicador que define como um negócio surgiu.

Lean Canvas: É um Canvas resumido que costuma servir para o período de descoberta, sendo focado em entender se a ideia vale a pena ser desenvolvida de fato.

Lean Startup: Startup Enxuta, é um conjunto de processos utilizado para desenvolvimento de produtos e mercados, conceito trazido por Eric Ries no livro com o nome deste termo.

Long-tail: Estratégia que visa um retorno em longo prazo, também é utilizado para definir palavras-chave que atingem um nicho específico, normalmente composta de mais de duas palavras.

Lowlights: Luzes baixas, refere-se a pontos que não foram como o esperado, de alguma forma sendo negativo.

LP (Limited Partner): É uma pessoa que investe em um fundo, não fazendo parte de um conselho de avaliação do investimento a ser realizado, confiando na capacidade do Fundo de investimento na gestão do investimento.

LTV (Life time value): Valor do tempo de vida, basicamente é o valor total referente ao ciclo em que um cliente permanece pagando pela solução/produto.

M

M&A (Merges & Acquisitions): Fusões e Aquisições de empresas, basicamente quando uma empresa compra parte de outra ou o seu controle.

Machine Learning: Aprendizado de máquinas, trata-se da capacidade de treinar determinada função em um computador para que o computador possa fazer análise de possíveis comportamentos e etc.

Marketplace: Plataforma que conecta duas pontas de fornecimento de produtos ou serviços, compradores e vendedores.

Mash up: Consiste em mesclar dois ou mais produtos ou serviços dando origem em um novo.

Meetup: Encontro para discutir determinado tema, seja por meio de palestras, treinamentos, bate-papo, etc.

Mentores: Pessoas com conhecimento de mercado que auxiliam no desenvolvimento de determinado negócio por meio de suas expertises.

Métricas Piratas: É um termo que define 5 métricas principais para o sucesso de uma startup: Aquisição, Ativação, Retenção, Receita e Recomendação.

Mineração de dados: Processo utilizado para explorar uma grande quantidade de dados para busca de padrões consistentes.

Monetização: Processo em que define o modelo de obtenção de receitas por parte da empresa.

MRR (Monthly Recurring Revenue): Receita Mensal Recorrente, trata-se da receita decorrente de um plano com um pagamento feito por período, este é o objetivo.

Mútuo Conversível: Tipo de contrato que garante um direito a uma porcentagem de participação de acordo com o cumprimento de determinadas cláusulas.

Must to have: Produto que o usuário precisa ter, é algo fundamental ou essencial para o cliente.

MVP (Minimal Viable Product): Ou simplesmente, Mínimo produto viável, trata de um produto de testes para validar a criação de um produto.

MVF (Minimal Viable Feature): Ou simplesmente, Mínima Feature viável, trata-se de um acréscimo ao produto feito como teste para validar determinada premissa.

N

NDA (NON-DISCLOSURE AGREEMENT): Contrato composto por cláusula que garante o  sigilo da negociação ou ideia.

Networking: Rede de contatos, composta por conhecidos de determinada pessoa.

Nice to have: Produto que “é legal ter”, no entanto não é fundamental/essencial para o usuário.

NPS (Net promoter score): É uma métrica utiliza para analisar o nível de satisfação do cliente com a solução e o quanto ele poderia recomendar a solução para outras pessoas.

No Shop Provision: Cláusula que protege o empreendedor quando um investidor pede para encerrar outras negociações para manter a exclusividade de uma proposta que está sendo negociada, no caso do não fechamento da proposta o investidor deve indenizar o empreendedor, pelas potenciais ofertas perdidas por conta da exclusividade.

O

Officeless: Movimento de pessoas que não possuem escritórios físicos fixos, trabalhando em diversos ambientes.

OKR (Objectives and Keys Results): Composto por Objetivos, fundamental para dar direção a empresa e Resultados-Chaves, responsável por quantificar a meta necessária para atingir o objetivo.

Onboarding: Pode referir-se a técnicas que buscam ambientar o usuário de determinada plataforma. Também podendo ser o processo de integração de determinado colaborador na equipe.

Ongoing: São sucessos secundários entregues de forma repetível aos usuários.

Open Source: É um projeto com código aberto, podendo qualquer usuário editá-lo criando outros programas ou softwares.

Outbound Marketing: Conjunto de técnicas de marketing que visam buscar pelo usuário, seja por meio de uma lista fria (sem contato anterior) ou por meio de ações que atinjam um público que não necessariamente está buscando pelo produto ou solução ofertado.

Outsourcing: É a terceirização de parte de um projeto, com objetivos de economia de custos ou mão de obra especializada.

P

Pitch: Apresentação curta sobre o negócio em si, normalmente usado para vendas ou captação de investimento.

Pitch Deck: Conjunto de slides que compõem a estrutura visual do Pitch.

Pivot: Mudança na estrutura do negócio, podendo ser tanto no modelo de negócios quanto, na solução proposta (também utilizado como verbo, ex: pivotar, mudar estrutura do negócio).

Powertalk: Modelo de apresentação como uma conversa entre pessoas que tenham um conhecimento/experiência sobre determinado assunto a ser apresentado.

Pós-Money: Valor de mercado da empresa depois do recebimento de determinado investimento.

Pré-Aceleração: Programa em que consiste o desenvolvimento de uma ideia, com foco na etapa de descoberta, em que descobre-se um mercado não assistido e começa-se a validação de um MVP, realizando desenvolvimento de clientes.

Pré-Money: Valor de mercado antes do recebimento de determinado investimento.

Pré-Seed: Fase inicial de um negócio, antes de recebimento de capital semente. Também definido como fase anterior ao capital semente no investimento.

Precificação: Definição de preço de um produto, podendo ser feita de acordo com diversos fatores.

Product Owner: Dono do produto, pessoa responsável por dar as diretrizes para o desenvolvimento do produto utilizando a metodologia SCRUM.

PQL: Product Qualified Leads, ou seja, potenciais clientes qualificados pelo produto, sendo uma estratégia de produtos freemium e trial na qual o usuário de uma ferramenta é qualificado para se tornar cliente por meio do uso do produto gratuito.

Private Equity: Modelo de investimento de grande escala realizado por fundos com maior potencial de investimento, normalmente trata-se de uma etapa posterior ao Venture Capital

Product Development: Desenvolvimento de produto, refere-se a quando a equipe foca o desenvolvimento da startup com base no produto em si.

Q

QBR (Quarterly Business Review): Também conhecida como Revisão Trimestral de Sucesso, revisão formal do processo junto com clientes e tomadores de decisão, normalmente utilizado em empresas abertas Americanas, pois exigem relatórios trimestrais.

Quick Win: Momento em que o cliente obtém rapidamente um sucesso na execução de uma ou mais ações-chave.

R

Renewal: Renegociação de determinado contrato, também relacionado a retenção de um cliente por meio desta negociação.

ROI (Return on Investment): Retorno sobre investimento, ou seja, o retorno que determinado investimento trás para o investidor.

Rollback: É o ato de descartar alterações realizadas em um código.

Round: Rodada de investimento.

S

SaaS (Software as a service): É um serviço que é um software, normalmente permite a recorrência na receita por meio do modelo de negócio voltado para o uso contínuo do software/programa.

SAFE(Simple Agreement For Equity): Modelo de contrato utilizado pela Y Combinator para investimento em startups com uma conversão futura em participação societária. Possui todas as vantagens das notas convertíveis, mas não as desvantagens.

Saída: Momento em que um investidor sai do quadro acionário da startups, vendendo sua parte de ações seja para outro acionista ou para o mercado.

Scale: Estágio em que a startup desenvolve o seu potencial de mercado atingindo um maior número de usuários, também conhecida como fase de tração ou escala.

SCRUM: Metodologia de gestão ágil de projetos comum em startups.

Scrum Master: É o responsável por gerir a equipe do SCRUM, definindo as metas do projeto e acompanhando o processo junto com a equipe.

SDR (Sales Development Rep): Pessoa responsável por desenvolver possíveis vendas, sendo considerado como um pré-vendedor.

Seed Round: Rodada de captação de investimento focada em capital semente.

Series A: Investimento realizado pós rodada semente, normalmente com valor superior a 1 milhão. (Ps: os valores destas rodadas são bem variados de acordo com o ecossistema)

Series B: Investimento realizado pós rodada Series A, normalmente com valor superior a 5 milhões. (Ps: os valores destas rodadas são bem variados de acordo com o ecossistema)

Series C: Investimento realizado pós rodada Series C, normalmente com valor superior a 10 milhões (Ps: os valores destas rodadas são bem variados de acordo com o ecossistema).

Shareholder: Pessoa que possui ações da empresa.

Smart Contracts: Contratos inteligentes utilizados em rede por meio de Blockchain, compõe a infraestrutura da rede.

Smart Money: Dinheiro inteligente, refere-se a um capital investido que também é acrescentado de uma rede de mentores e parceiros que permitem desenvolver o negócio.

Spin Sales: Técnica de vendas utilizada normalmente para vendas complexas.

Spin-off: Empresa/Startup que se originou dentro de outra e depois tornou-se uma empresa independente.

Sprint: Metodologia criada pelo Google, que permite uma experimentação rápida, consiste em uma técnica que visa produzir em ritmo acelerado visando um objetivo específico.

Sprint Planning: Planejamento de Sprint, ou seja, é uma forma de planejar uma semana de experimentação.

Stakeholders: Todos os públicos relacionados a uma empresa específica (clientes, parceiros, funcionários, sócios, etc).

Stock Options: É um direito de compra de ações (não é obrigado a comprar), uma forma utilizada para bonificações variáveis também ligadas ao desempenho da empresa.

Storytelling: Técnica que tem o objetivo de contar histórias de forma envolvente, frequentemente utilizada em Pitchs.

Subscription (Modelo de subscrição): É um modelo de pagamento com recorrência (pagamentos periódicos).

T

Tag Along: É uma cláusula de proteção para acionistas minoritários, garantindo a chance que ele possa deixar a empresa no caso da entrada de um novo investidor maior que pretenda adquirir a empresa.

Tecnologia Disruptiva: Uma tecnologia que muda a forma que o mercado atuava anteriormente, provocando uma “disrupção” (quebra de paradigmas).

Term Sheet: Documento composto dos termos acordados entre empreendedores e investidores realizado antes de determinado investimento.

Tese de investimento: Conceito de alinhamento dos objetos de investimentos feito por uma pessoa ou fundo para investir, buscando sinergia entre as empresas que são investidas por esse ente.

Tração: É o modo de atingir um maior número de usuários.

Trade-off: É um conflito de escolha, uma troca ou transação que é realizada em que se há alguma perda.

Trial: Modelo de testes com um período definido (semanal, quinzenal, mensal, etc) para uso de determinado produto sem custos.

Try and Buy: Modelo de receitas com base no teste gratuito de determinado produto ou serviço, com um contrato de compra caso se comprovem as hipóteses levantadas.

Turnover: É a rotatividade de colaboradores na empresa, característica de uma insatisfação da empresa ou do colaborador com algum dos pontos gerando o desligamento.

Twist the knife: Girar a faca, termo utilizado na área de vendas, consiste em apertar a dor do cliente.

U

UI (User Interface): Interface do usuário, área ou profissional dedicado a interação visual que o cliente possui com determinado produto ou serviço.

Unicórnio: Empresa avaliada em mais de US$ 1 Bilhão antes da abertura de capital em bolsa de valores.

Upgrade ou Upsell: Técnica de vendas que permite vender um produto/serviço com maior valor agregado do que o oferecido anteriormente.

User Friendly: Interface / Produto amigável ao usuário, ou seja, que o usuário entende de forma fácil.

UX (User Experience): Experiência do usuário, área ou profissional dedicado a entregar uma melhor experiência de uso de determinada produto ou serviço.

V

Vale da morte: Parte da esteira de investimento onde boa parte das startups “morrem”, normalmente é entre a fase de descoberta e validação, boa parte das vezes a falência se deve pela falta de investimento ou inconsistências no produto ou modelo de negócio.

Validation: Validação, período em que a startup busca descobrir se alguma pressuposição é verdadeira ou não.

Valuation: Avaliação da empresa realizada normalmente para definir o valor acionário para um investimento.

Venda complexa: Venda que envolve diversos tomadores de decisão, levando um tempo maior para ser realizada.

Vesting: Tipo de contrato de sociedade que permite estabelecer cláusulas relativas à participação societária e o papel dos sócios, dando maior segurança do investimento.

VC (Venture Capital): Mercado de investimento de risco, caracterizado também pela inovação e pelo alto potencial de retorno, este termo também é utilizado para nomear o investimento de risco feito por um fundo de venture capital.

Venture Builder: Organizações que criam empresas por meio de suas ideias e recursos, criando uma sinergia entre elas.

VR (Virtual Reality): Realidade Virtual, tecnologia que permite por meio de um óculos visualizar um conteúdo produzido virtualmente.

W

Waiting Time: Tempo de espera, termo utilizado na gestão de projetos.

Webinário: Apresentação/seminário online, frequentemente realizado via hangouts.

Whitelabel: Empresa que cria app e websites voltados para negócios de um nicho específico a partir de um modelo dando agilidade na implementação e conectando os clientes do negócio com uma nova forma de realizar seus pedidos.

WordPress: Plataforma de criação de websites que permite que pessoas sem qualquer conhecimento de programação possam criar seus próprios sites.

Workflow: Fluxo de trabalho, sequência de passos a serem executados, podendo serem automatizados ou não.

Workshop: Treinamento prático com tema específico.

Wow Moment: Momento em que o usuário se surpreende com determinado serviço ou produto, superando suas expectativas.

X

Sem termos iniciados com esta letra até o momento. (Caso tenha alguma sugestão envie-nos)

Y

Sem termos iniciados com esta letra até o momento. (Caso tenha alguma sugestão envie-nos)

Z

Zone to win: Metodologia utilizada por empresas tradicionais para implementação de inovação. Termo originado por Geoffrey Moore.

Acompanhe os termos utilizados no mundo de startups

Este dicionário é um trabalho conjunto da Cotidiano Aceleradora, para educação empreendedora. A finalidade principal é de fomentar o aprendizado e a cultura de startup.

Caso queira contribuir com uma palavra que possa ser melhor traduzida ou que acredita que faltou responda o nosso e-mail após baixar a versão em pdf.

Agradecemos a todos que contribuíram para a produção deste material constando a “tradução” dos termos utilizados em startups no Brasil e no mundo.