Comportamento Empreendedor: uma das chaves para o sucesso de um negócio

Escrito por: Cotidiano Aceleradora

6 de abril de 2022

Pessoa estudando sobre o comportamento do consumidor

O que vem à sua mente se nós te perguntarmos sobre o que é importante no empreendedorismo? Ter autoridade na área de atuação, ter preparação em todos os âmbitos possíveis, ter capital para investir no projeto e um plano de negócios impecável? Tudo isso é válido, mas nada se compara a outro atributo tão importante quanto: o comportamento empreendedor.

Esse é um tema bastante discutido nos últimos anos no continente americano, mas pouco disseminado aqui no Brasil. Pesquisadores se debruçaram sobre o assunto e realizaram pesquisas relevantes para a comunidade empreendedora da América do Norte. O resultado foi compartilhado em artigos e livros que abordam a questão e também no que diz respeito às competências empreendedoras. 

Enquanto o comportamento empreendedor não ganha fôlego nos debates em solo brasileiro, nós falaremos um pouco sobre o assunto, trazendo informações relevantes para você conhecer um dos principais elementos para o sucesso do seu negócio. Acompanhe conosco até o final. Boa leitura!

O que é comportamento empreendedor?

Comportamento empreendedor é uma expressão utilizada para se referir ao conjunto de habilidades e competências essenciais para o empreendedorismo. Elas ajudam a alavancar o sucesso de um projeto atual ou futuro de seus responsáveis.

Quando se trabalha alinhado ao comportamento empreendedor os resultados alcançados são os melhores possíveis. Isso porque a pessoa por trás desse perfil é a grande responsável pelas transformações relevantes que mudarão o curso do projeto.

Entre as mudanças necessárias está a capacidade de sensibilidade no acompanhamento de quem trabalhará promovendo inovação para o mercado. O profissional responsável conduzirá a equipe quando há a descoberta sobre quais são as habilidades necessárias para desenvolver. Isso pode acontecer tanto de forma individual como também coletiva.

Na introdução do texto mencionamos que o termo tem origem em pesquisas feitas nos Estados Unidos, certo? É hora de descobrir quem está por trás dos estudos e da criação do termo.

Por quase 4 décadas (1951 a 1992) o americano David McClelland pesquisou e publicou materiais sobre a motivação humana no âmbito do empreendedorismo. Mais tarde ele empregaria os seus recursos dedicando-se a observar e desenvolver um estudo sobre o que ele chamou “personalidade empreendedora”. 

Como resultado de sua dedicação ao assunto, David trouxe colaborações significativas para a comunidade acadêmica e a sociedade no geral a partir da elaboração de duas teorias importantes: Teoria das Necessidades Adquiridas e a Teoria sobre as Características Comportamentais Empreendedoras. Acompanhe os próximos parágrafos para saber mais a respeito.

Teoria das Necessidades Adquiridas

Essa teoria presume que os humanos são estimulados e isso ocorre sem segregá-los em idade, gênero ou raça a partir de três necessidades fundamentais, sendo que uma delas pode ser predominante em um indivíduo, baseando-se nos seus costumes e trajetória de vida. Estamos falando basicamente de:

  • Necessidades de realização – definir e alcançar objetivos difíceis, envolvendo-se em situações arriscadas, tomando como ponto de partida um planejamento robusto. Há uma constante busca por feedbacks a  respeito de suas conquistas.
  • Necessidade de afiliação – estabelecimento e manutenção das interações sociais sob a pretensão de fazer parte de um grupo, colaborando com o mesmo para obter aceitação social.
  • Necessidade de poder – capacidade de influência, persuasão e controle sobre as pessoas. Ter liberdade na tomada de decisões motivados por um objetivo, no intuito de vencer obstáculos para obter não apenas status, mas também reconhecimento.

Teoria sobre as Características Comportamentais Empreendedoras

A ideia é defender que há três grupos de competências que estão mais conectadas aos empreendedores considerados por McClelland como bem-sucedidos, independente do continente em que residam ou do tipo de negócio que possuam. São elas:

  • Grupo da proatividade – caracteriza-se pela iniciativa do empreendedor em realizar ações sem que alguém necessite delegá-las. Além disso, o profissional é completamente seguro no que diz respeito a sua forma de lidar com adversidades entre as pessoas, conduzindo-as para as ações que elas devem tomar. Essa categoria tem ligação direta com a necessidade de poder.
  • Grupo de orientação para realizações – caracteriza-se pela procura do empreendedor por oportunidades diferentes para iniciar um novo projeto, obter captação de recursos ou qualquer outro tipo de suporte. Ele busca formas de realizar tarefas com mais agilidade e menos custos, além de preocupar-se em entregar um trabalho de alto nível. Essa categoria está diretamente ligada com a necessidade de realização.
  • Grupo de comprometimento aos outros – caracteriza-se pela responsabilidade com o contrato de trabalho firmado. Aqui o empreendedor é capaz de sacrificar-se ou até mesmo tomar atitudes muito radicais para finalizar uma tarefa, ajudando aos colegas de trabalho e demais funcionários a atingir os objetivos da organização. Além disso, ele também se preocupa com a importância das relações comerciais, construindo uma rede amistosa a partir de relacionamentos com clientes e fornecedores. A categoria está diretamente ligada com a necessidade de afiliação.

Qual a diferença entre habilidades técnicas e habilidades empreendedoras?

Você também achou que se tratava tudo da mesma coisa? Pois saiba que esse erro é bastante comum no universo empreendedor. Mas afinal, o que diferem as habilidades técnicas das habilidades empreendedoras? Falaremos sobre cada uma delas a seguir.

As habilidades técnicas estão diretamente relacionadas aos conhecimentos técnicos e expertise em determinados setores. Geralmente elas são aplicadas em locais privados visando alcançar objetivos individuais. Podemos citar como exemplos os trabalhos voltados na área de marketing e finanças.

Já as habilidades empreendedoras dizem respeito às posturas que exercem a função de efetivar algo. Elas têm maior tendência à disseminação em cenários variados, tornando-se maior do que o próprio ambiente corporativo. Se enquadram nesse perfil a capacidade de planejamento geral, entre outras.

Principais habilidades que reforçam o comportamento empreendedor.

Desde o início do conteúdo falamos sobre o comportamento empreendedor e como ele pode influenciar diretamente no sucesso do seu negócio. Discorremos também sobre o fato de haver habilidades técnicas e habilidades empreendedoras e as diferenças entre elas. 

Agora é hora de compartilharmos as 10 habilidades essenciais para empreender com êxito, baseadas em três fundamentos: motivação, realização e relação.

Motivação

#01. Autoconfiança

Capacidade de confiar em si mesmo, especialmente quando diante de uma atividade mais desafiadora que as demais. É manter o posicionamento diante de seus valores e crenças pessoais mesmo que esteja sob opiniões opostas e/ou resultados nada agradáveis.

#02. Firmeza para lidar com situações arriscadas

Sabedoria para mensurar riscos, analisando possibilidades e mantendo uma situação controlada para gerir seus resultados com eficiência. É o engajamento em contextos desafiadores que oferecem riscos menores.

#03. Comprometimento

Habilidade para manter posturas e ações que ajudem na sobrevivência e evolução constantes do seu projeto.

#04. Perseverança

Capacidade de agir diante das dificuldades e desafios, ajustando o comportamento de acordo com a necessidade do momento sem perder a firmeza  para alcançar os objetivos.

Realização

#05. Planejamento 

Capacidade de planejar atividades e metas de modo a determinar prazos e datas para realização, descrevendo todas as estratégias e maneiras de efetivá-los, colaborando para a organização de projetos do presente e do futuro.

#06. Busca por conhecimento

Habilidade que engloba a necessidade de constantes atualizações sobre dados relevantes para o negócio. Além disso, busca constantemente por aprendizado, desenvolvendo novas habilidades, tanto técnicas quanto empreendedoras.

#07. Busca por novas possibilidades

Capacidade não apenas de criar como também de descobrir novas oportunidades de negócio, seja a partir da implementação de novos produtos e/ou serviços, ou mesmo da ampliação do que já existe.

#08. Projeto inovador

Desenvolvimento da capacidade criativa para resolver problemas a partir da criação de soluções eficientes após uma análise minuciosa da situação.

Relação

#09. Estabelecimento de conexões

Capacidade de criar relacionamentos, manter proximidade com pessoas relevantes para o negócio 

#10. Liderança 

Habilidade para influenciar e fazer gestão de pessoas de modo que o reflexo sobre elas seja positivo, ajudando no alcance das metas da organização.

Conclusão

O comportamento empreendedor é constituído de várias habilidades que o deixam cada vez mais perto do alcance das suas metas. No entanto, apesar de possuir algumas, é preciso aprimorá-las e desenvolver outras essenciais para o sucesso e sobrevivência do negócio.

A Coti está mais que preparada para ajudar você nessa missão. Empreenda de forma assertiva, aprendendo a potencializar e desenvolver novas competências. Entre em contato agora mesmo conosco e saiba mais sobre como nós podemos entrar nessa jornada contigo rumo ao sucesso. Estamos te esperando.

Inscreva-se no CAMP10

Artigos Relacionados

LTV: saiba o que é e se realmente vale a pena investir nele

LTV: saiba o que é e se realmente vale a pena investir nele

Já parou para pensar quanto vale cada cliente que está na sua base? Quando falamos de valor não estamos lidando com a questão afetiva, mas de cifras. Cada um deles tem um custo e é fundamental para a empresa avaliar se os investimentos geram os resultados esperados....